A transformação da humanidade terrestre




A Astronomia nos mostra a grandeza do Universo e canta as glórias de DEUS. O universo e a Terra encontram-se em permanente transformação e muitas vezes o caos dá origem à ordem, desde as pequenas partículas até os grandes astros do universo. O ser humano, vacilante e inseguro, escuta desde os tempos imemoriais as profecias sobre o final os tempos e do mundo geológico e está sempre se perguntando: Quando será o fim do mundo? Estariam certas as profecias?

Os Espíritos superiores nos respondem que a Terra não será destruída, que a lei da transformação sempre esteve presente e continuará a vigorar e que precisamos confiar, ter fé, e viver o presente, aproveitando cada dia da melhor forma possível para crescer como pessoa e evoluir.

O Apocalipse de João, as escrituras de Daniel, as previsões catastróficas de Nostradamus, o calendário Maia, todas as profecias são previsões alegóricas sobre as transformações do mundo.

O universo está em constante expansão. Os telescópios espaciais em órbita terrestre nos mostram o nascimento de galáxias, a existência de buracos negros, o nascedouro e a extinção de planetas e estrelas, clara evidência de que Deus, os arquitetos cósmicos e os dirigentes siderais estão em incessante processo criativo.

Muitos afirmam que o Sol vai morrer e com ele desaparecerá a vida no sistema solar. Segundo os cálculos dos astrônomos, o Sol (massa gelatinosa ígnea, que nos proporciona vida por meio das explosões nucleares e pela ebulição energética), perderá seu brilho e força daqui a 11 bilhões de anos. Precisamos nos preocupar com isso agora?

Pensar em finitude do mundo é uma ilusão. Os eventos geológicos, as convulsões sociais, políticas, bélicas, crises econômicas, sanitárias e as perturbações provocadas por choques de antagonismos religiosos sempre existiram – não constituem novidade alguma –, e outras convulsões virão, porque fazem parte do processo de transformação da Terra e de sua humanidade, em atendimento da Lei Divina, imutável e eterna do progresso.

A verdade é que estamos atravessando um período de profundas transformações de ordem geológica, social, moral e espiritual; estamos em um período de transição para um mundo melhor, construindo a NOVA TERRA, para a humanidade do terceiro milênio.

O que significa isso?

Significa que o planeta Terra e a sua humanidade precisam continuar sua saga evolutiva e para que tal desiderato se concretize, será necessário ocorrer ajustes energéticos, reurbanizações de ambientes físicos e extrafísicos e seleção dos espíritos que poderão permanecer na Terra para continuar sua evolução. Muitos poderão ser convidados a reiniciar novas etapas evolutivas em outras escolas da vida, em outros mundos mais compatíveis com o seu estágio evolutivo, vibracional e energético.

Quando se fala em transformação planetária as pessoas se lembram do final dos tempos, do apocalipse, da destruição do mundo, porque foram impregnadas por milênios de ideias supersticiosas e místicas, inseridas por lendas e mitos criados por profetas e sistemas religiosos que objetivavam manter o controle sobre seus rebanhos por intermédio do medo. Ao ter medo as pessoas passam a desenvolver a agressividade para poder se proteger, e se defenderem atacando a ameaça para neutralizá-la ou eliminá-la, mediante uma reação instintiva, cujo mecanismo de defesa das coletividades se intensificou e com o tempo se transformou em ira. A pessoas encolerizadas e reativas contra as agressões sofridas se sentiram magoadas e ressentidas, terreno fértil para brotar o ódio visceral que permite o afloramento do desejo de vingança, de revide, de fazer justiça com as próprias mãos com o concurso da violência. E esta é ainda a realidade da humanidade terrestre.

Para reverter esse triste quadro, JESUS nos apresentou seu Evangelho de amor, perdão e caridade. Os ensinamentos DELE nos induz a reflexões profundas sobre a vida, a postura cristã de amor aos nossos semelhantes, do perdão incondicional, do auto perdão e da prática de sentimentos elevados e pensamentos positivos, que são os instrumentos capazes de transformar o nosso íntimo e modificar nosso comportamento.

A Reversão de sentimentos animalizados e primitivos para sentimentos espiritualizados e de elevado quilate moral possibilitará a iluminação interna e a aquisição do quantum energético necessário à permanência do espírito na humanidade da NOVA TERRA.

As transformações já são uma realidade em todos os cantos do mundo e em todas as esferas da vida e não permite que a humanidade permaneça estacionada, entendendo como estacionados todos aqueles que não vivenciam a evolução, não produzem ou realcem as modificações nas áreas do intelecto, da moralidade e da espiritualidade; todos os que permanecem atados à materialidade e ao imobilismo espiritual escravizante e todos os que se colocaram fora dos contextos de renovação espiritual e permanecem com disposição e ânimo para produzir inquietações, confusões, perturbações, cizânia, em nome da vaidade, do orgulho e do egoísmo – sentimentos inferiores que evidenciam a ignorância e atraso perante o processo evolutivo não encontrarão lugar na humanidade da Nova Terra.

Ser um herdeiro da NOVA TERRA exigirá acurada atenção às palavras de Jesus, o Grande Mestre e modelo de perfeição que Deus nos enviou, quando se pronunciou em seu célebre Sermão da Montanha:

“Bem aventurados os mansos, porque herdarão a Terra”.

Mansuetude é característica daquele que venceu a agressividade em gestos, pensamentos e palavras, que guarda serenidade e estabilidade emocional, aquele que possui temperança, sensibilidade e sensatez, aquele que venceu a impetuosidade violenta e escravizante.

O mais importante, no entanto, é acreditarmos que tudo está sendo dirigido por Deus que outorgou o leme desta nau chamada Terra, nas mãos sábias e competentes do Jesus Cristo.

É essencial reconhecer que temos que fazer a nossa parte, renovar nossas energias, buscar a melhoria como pessoa, pensar na coletividade, cultivar bons sentimentos, bons pensamentos, praticar o bem e, principalmente, identificar as nossas próprias falhas e defeitos morais para poder trabalhar a sua neutralização.

Orar pedindo forças e coragem para essa empreitada, porque não é fácil mudar atitudes, eliminar vícios, corrigir condutas, mas também não é impossível, só depende de nós mesmos, do nosso empenho, do nosso esforço e da nossa vontade.